Por vezes, e muitas são as vezes, gramaticalmente incorretas,despretenciosas,desobedientes às regras,
as palavras aqui são só ajuntadas e se tornam frases
simples ... uma maneira de expressar o que sinto. della

sexta-feira, janeiro 16

Anteparo do Amor




Nesse amor não permito interrupções

Só sei das surpresas

Que estão por aí

Para viver qual uma barca calma

Sem pressa de chegar

Nesse amor como quem rema devagar

Quero derramar meus últimos desejos

Tocar levemente você

O suave toque de quem um amor sabe guardar

Sobre o mais profundo pensar

Você , o amor, é a constante

Nesse amor sou tudo

Que me permito sentir

Qual vela ao vento

Suavemente

Para além de um horizonte perdido

Mas é onde está

O Mar da minha força

Nesse amor não permito suspensão

Se és o mais profundo

Do meu viver.


foto de Mircea Marineuscu

2 comentários:

Gabriela Rocha Martins disse...

no teu poema existe
mais do que um verso

existe um mundo aberto à POESIA


.
um beijo ,dellita ,môre.

Oliver Pickwick disse...

Navegar [no amor] é preciso. Linda analogia, prezada amiga.
Um beijo!