Por vezes, e muitas são as vezes, gramaticalmente incorretas,despretenciosas,desobedientes às regras,
as palavras aqui são só ajuntadas e se tornam frases
simples ... uma maneira de expressar o que sinto. della

sexta-feira, março 7

Espaço Vivido III - folha-pedra



meu amor dorme
nenhuma porta a separar
um chão de folhas vermelhas e amarelas
acolhe seu corpo
corpo que quando comigo dorme
ninguém mais dorme
faço versos em alvoroço
esqueço os sons comuns
nosso poder vem como som de violino
único, inesquecível, raro
tal qual o barulho das folhas
que ouço quando deito ao seu lado
sou seu prazer num outono
que ainda não chegou
mas encharca de chuva
meu verão quente
cada dia é diferente,cada dia
entre pedras, folhas, sons
volto da luta real
para amar seu corpo
num lençol que colore minha vida.
*
*
imagem de nuno manuel baptista

Um comentário:

Anônimo disse...

Assim que li senti uma enorme vontade de ir para a cama...consigo.

karen