Por vezes, e muitas são as vezes, gramaticalmente incorretas,despretenciosas,desobedientes às regras,
as palavras aqui são só ajuntadas e se tornam frases
simples ... uma maneira de expressar o que sinto. della

terça-feira, março 23

não desista!




Vejo um mundo de um jeito que você não vê
Estou hemisfericamente distante
Não tive as mesmas experiências...
compreendes, por que?
Sou um lado marcado , outro por desvendar
Tenho um lado que desconhece, outro por se entregar.
Sou de uma diferença ímpar
Preciso da compreensão
Preciso que saibas
Sou uma luta que não vai acabar nunca
O melhor que consigo extrair ...é você.
É ainda, você.
Me diz que vou crescer! Socorre-me. Salva-me.
Outra vez. Outra vez.
Aponta-me o rumo.

Foto de Emília Couto

A IMAGEM FAZ PARTE DO POEMA.

sábado, março 20

choro,apego.




Choro
O choro do meu silêncio contido
O choro da carência
O choro pelo mundo
Por consequências
Choro a dor dos que nem conheço
Uma dor de incapacidade
Meu silêncio está em todo lugar
Quiento. Move-se tão lentamente.
A dor de tirar a dor de dentro de mim
E não ser possível, preciso que ela
Esteja aqui, acordada.
Para me sussurrar: "é assim que vais fazer!"
Derrotar fantasmas, cheios de dores,
livrá-los de mim
dar-lhes liberdade.
E ter a paz de volta,
De volta ao meu caminho.
_
_


Foto de Bacia Nomarco

*"A casa é o meu apego, ao meu passado"

quarta-feira, março 17

vento na vida




De que amor estamos falando?
De que tempo, de que filosofia, de que compreenção...
O que nos faz achar que seremos diferentes
Frente a violência da igualdade unânime, tola, parva?
De que tempo estamos nós, conectados
Dispostos, sem riscos ...?.
Tola a velhice das frustações
Tola a vida que se quer sem sentido
Neutra, pobre, insana.!!!
Até o momento do vento frio
Mostrando sua cara de desprezo a bater-lhe
Nas faces as verdades, todas as que não viste.
De que amor,
De que tempo,
De que sentido,
De que vento
Estamos realmente falando...?

Foto  Emília Couto Della-P

terça-feira, março 16

Minha mãe e o Tempo


Assistir a finitude do tempo de minha mãe
Não me assusta nem tampouco é desesperador
Durante anos da minha vida
Assisti o dia amanhecer com a nítída certeza
Que ela estaria morta na cama
A morte rondou-me
Na infância e  na adolescência
Talvez, por isso, fale tão pouco dela
Fale tão pouco de minha mãe
A complexidade de ser filha
De ser a filha de minha mãe
É tamanha
Que discorrer sobre isso
É incorrer em invadí-la
Algo sim, que eu não suportaria fazer.
Assim, escolho, junto a minha mãe,
apenas e tão somente vivê-la
Nos minutos incontáveis
Do tempo que,  ainda, não a abandonou.

Foto emilia couto

segunda-feira, novembro 30

sentires

Wordle: sentires

sexta-feira, novembro 27

algumas palavras

Wordle: primeiras palavras

sexta-feira, novembro 13

O abraço que não vou ter.

Hoje
E somente hoje
Vou chorar a ausência de papai.
Era com ele que eu queria voltar a dançar
No dia em que faço 50 anos.
É dele, a única e gigantesca falta
que arrebenta o meu coração.
Todo o amor que senti por ele
e que recebi dele, hoje, e somente hoje
não consegue ser capaz de me fazer feliz.
A sua presença física, num absoluto momento meu de fraqueza,
me torna solitária, nua, indefesa, e triste.
O seu abraço pra mim é hoje o único presente que peço a Deus.
Lamentavelmente , o mais impossível de ser atendido.

terça-feira, setembro 15

meu perturbador sentimento



Assim... de dia
nesse amanhecer que tantas vezes vivi
sinto tão claramente a força do amor
no gesto calado
um vívido silêncio. você.
um perturbador sentimento
deixado a sombra
a sombra do nascer
se sua luz invade
seu silêncio me enamora
o que desejo já não me pertence
é seu, o amor sem solidão.

_
_
foto de nikorimages

sábado, junho 20

Escuta-me , onde quer que estejas



Existem, ainda, momentos que só ele entenderia
Existem canções que ainda precisávamos ouvir juntos
Existe o outono e meu desejo era que estivesses aqui...

Eu ainda tinha tantas coisas para lhe dizer
_

Mas, nessa vida, já não é mais possível.

_
-
foto de Madalena Pestana

terça-feira, abril 14

porta aberta



uma porta aberta
onde os temporais possam atravessar
e tal qual a natureza indefesa
eu possa
ser transpassada
atingida pela tormenta
de uma grande tempestade.
Ó Senhor!
que há tanto tempo não dou preces
de joelhos, agora, estou a suplicar
a sentir morrendo minhas raízes
imploro um temporal
que varra de mim
a metade deste jogo da vida
que não aprendi a jogar,
que os ventos sejam versos,
a luz não pare de brilhar
e que os estrondos sirvam para acordar,
me despertar
e assim a água, tangível,
partilhada,
me atire para o alto
ao invés de me sufocar.

foto de david guimarães

quarta-feira, abril 1

Texto - A Dança




13 de novembro.1975. 23:25. Naquela noite eu fazia 15 anos, meu pai deu o único presente que estava ao seu alcance: uma dança. Ao som suave de uma canção na "radiola" dancei pela primeira e única vez em minha vida. A canção que tocava no momento: "Sideshow" do grupo musical Stylistics.
Ao magnetismo daquele momento, doce momento que aos poucos me ajudava a vencer as implicações da adolescência, a minha lembrança de perceber o quão valioso, e repleto de significados fôra o presente.

Mais especial ainda o fato de que eu não sei e nunca soube dançar.

Meu pai. Um homem que entendia de sons, de significados e era capaz de transformar coisas impensáveis em instantes significativos.

*

50 anos - histórias do Pequeno Caderno
*
*
foto de lisa-ben

sexta-feira, março 27

lastro de meu tempo


Qual a medida do sentir
se você não está aqui para presenciar?
qual a medida de viver
se você não está aqui para vivenciar?
qual a medida do meu tempo?
do meu lastro: peso e equilíbrio
que resume os contornos do meu pensar?
me pergunto.
eu que temia tanto seu olhar nunca encontrar
temia a história passar e me levar
e nunca ver seu sorriso,
sua imagem inteira
ou suas sombras alcançar .
o que um dia foi um rumo de vida triste
hoje, enfim, sabe que há algo solto no ar
vem trazido pelo Outono,
esse Tempo
que já não vive só de sonhar.

*
*
foto de eliza lazo valdez
*
*
É tempo de Outono. É tempo de cuidar.

A caminho


Estarei voltando em breve. É que, nesses dias, dependo do grande vento para içar minha pequena vela. Sem ele não consigo navegar.


_
_

foto de nicolas de fontenay

domingo, fevereiro 15

15.02

*
*


Noites e Dias.
E isso é entre Eu e Você.


*
*

(I am in love with you, forever)

quarta-feira, fevereiro 4

Mãe de Milos II



Respiro em tuas esferas
doce abrigo descoberto
Respiro teu nome
Guardo o cheiro,
maciez dos teus mamilos
cheios de sonhos
de amor e gosto
estremece os momentos
a eternidade
e sei
ainda esperam por mim.

*
*
foto de Nuno Ferreira

quinta-feira, janeiro 22

Mãe de Milos


Essas lágrimas castanhas rolando por todo o seu corpo

Que mundo suave esse que me transportas

Resumo de todas as vidas

Deixará seco o meu pensamento

Um deserto é tudo sem ti.

Aqui danço, danço nos seus mamilos

A poesia que mais sei recitar:

O desejo

O desejo de a possuir.

*

*


a foto de Sevem



sábado, janeiro 17

O Prêmio





Minha amiga e madrinha Madalena Pestana, do blog Não há Rios Iguais - http://naorios.blogspot.com/, atribui a esta Cidade o Prêmio Blog de Ouro.
Bom tenho de aceitá-lo, afinal se a Madrinha diz que é de Ouro quem sou eu pra duvidar: "Manda quem pode, obedece quem tem juízo". A mim só me resta agradecer a lembrança e a generosidade de minha amiga e....fazer cumprir as regras que um prêmio deste valor pede.

Eis aqui:

deverá ser atribuido só a mulheres

- copiar o prémio e colar no seu blog- fazer referência do meu nome e colocar o endereço do meu blog

- presentear seis Mulheres cujos blogs sejam uma inspiração para si

- deixar um comentário nesses blogs para que saibam que ganharam o prémio

Extrema dificuldade em escolher blogs que me inspiram...são tantos. Tento aqui representar a todos escolhendo os seis abaixo:

- O perfil da casa, o canto das cigarras - Suzana - http://aidamonteiro.blogspot.com

- Plan (o) Alto - O'Sanji - http://planoalto2.blogspot.com/

- Em Linha Reta - LMatta - http://emlinharecta.blogspot.com/

- Palavras em Desalinho - Carla - http://palavrasemdesalinho.blogspot.com/

- Caminhos de Terra - SMA - http://caminho-de-terra.blogspot.com/

- O Mar Atinge-nos - Mariah - http://omaratinge-nos.blogspot.com/

Vou dar a boa notícia.

Beijos Magda.

sexta-feira, janeiro 16

Anteparo do Amor




Nesse amor não permito interrupções

Só sei das surpresas

Que estão por aí

Para viver qual uma barca calma

Sem pressa de chegar

Nesse amor como quem rema devagar

Quero derramar meus últimos desejos

Tocar levemente você

O suave toque de quem um amor sabe guardar

Sobre o mais profundo pensar

Você , o amor, é a constante

Nesse amor sou tudo

Que me permito sentir

Qual vela ao vento

Suavemente

Para além de um horizonte perdido

Mas é onde está

O Mar da minha força

Nesse amor não permito suspensão

Se és o mais profundo

Do meu viver.


foto de Mircea Marineuscu

sábado, janeiro 10

Sua pele

Tens a deliciosa pele...de quem viveu a vida.
Ainda que nela tenha faltado os beijos de minha boca quente.

*
*
a foto de Mariah

domingo, dezembro 7

âncora


*
*
meu mar, meu eterno gostar, minha âncora...

fêmea que não me saí do pensamento
meu vício e meu símbolo
meus múltiplos desejos ardentes
voz rouca
feito canto de sereia
seu desenho, minha, na areia
mulher das letras de meus poemas
beira de meu rio
onda do mar
ancoradouro desse tormento
que denomino de saudade
seu vento de inverno é meu aroma
chamo de âncora
aquela que há de ser minha
vou experimentar seu gosto
e só partirei
quando eu não mais acreditar
que a arte de amar
é a arte de citar poemas
à fêmea que não me saí dos pensamentos.

*
amor que não consigo tirar de mim.

*
*
a foto de roblyn

ressurreição


*
*
o tempo a querer mudar
eu a querer parar o tempo
já não é tarde
meu abraço vazio
minha vida solitária
alegria do dia que se foi
emudeço
no espaço vazio
preciso do seu rosto de volta
do seu corpo - ilusão de luz
a tempestade molhando minha rebeldia
muitos, muitos foram os mundos que construi
agora, preciso do tempo
e de você
dentro dele.
*
*
a foto de grendel

segunda-feira, dezembro 1

jeito

*
*
*
um jeito, meio-vagabundo, de ser.
*
*

a foto de tuta

quinta-feira, novembro 13

desde o dia em que nasci


até aqui tem sido tempo de aprender.
sou a parte de um processo
sou a vida das combinações
sou o profundo desejo
de ter dado certo.
*
*
À Vida! Seja ela vivida de qualquer forma.

*

a foto de Maria São Miguel

segunda-feira, novembro 10

o outro lado


*
*
*
inundaste minha vida de paz!

*
*
a foto de franco

sábado, novembro 8

desejos...assim


*

*


Se é a mim que desejas

Conta-me

Não me deixas assim

Enlouquecidamente

De paixão

Se és assim

Pretensão de puro desejo

Não me deixas assim

Do jeito dolorido

Da insistente saudade

Aquela que rasga

Todos os pedaços

Já tão partidos de mim

Esconderijos

De uma vida vivida a avessos

Por qualquer coisa grito: liberdade

E tendo-a até para amar

Não me calo diante de ti

Sou assim

Em amor de ti me transformei

Num ser envolvido

Em vidas estranhas a mim.

Não me deixa, nunca...assim.



a foto de angelica

quinta-feira, novembro 6

amadureci



*


Amadureci nas dores de tuas veias

e ainda nem havias regressado

é do passado que falo

ou dito, nem sei mais!

uma busca que passa pelos restos

do que foi nossas vidas

e ainda terá de ser

um fio transparente me une a você

em forma de luz

uma meia-luz

que penetra muito forte

amadureci em sentidos sem razão

tudo pode se esvanecer

basta que para isso olhe-me aos olhos

a entrega seria ímpar

nosso plural

uma louca atitude?

sim

a nossa liberdade ser a loucura.

amadureci nas tuas esperas

demoras que corta-me

amadureci sim

nessa fina luz em entranhas

me convence querer-te só

para mim.


*

a foto de carlos manuel pereira


segunda-feira, novembro 3

Fim do repouso!


foto de jmrufian

domingo, outubro 12

o tempo que torna você



O tempo
podia contá-lo
Em cada folha
Em cada manhã
amanhecida
Tanto olhar da janela
São tantos os tons de azul
Meu e nosso tempo
Podia contá-lo na memória
Das lembranças
Dos pensamentos vãos
De você
E esse tempo
Marcas do meu amor
Marcas do meu gostar
O tempo a encontrar
Você nos meus delírios
O tempo
que me permite tornar ao passado
a senti-la mais e mais
E revivo, nesse brincalhão tempo ,
Toda a paixão que não morre por ti
E assim
Vou contando o tempo
Um tempo precioso
Que relata verdades,
Só a nós, compreensíveis.
O só nosso tempo.
_
_
foto de madalena pestana
_
_
quero envelhecer amando você

sábado, agosto 9

Minha

*
*
*

Danço a música
que gostaria de cantar a dança
do que eu não sou capaz de fazer
com você há uma lista interminável
nem toda essa liberdade do mundo
que você me dá
poder dizer a hora que eu desejar
meu amor és tu, meu amor é de ti
Meu amor nasceu para si
essa liberdade de ser sua
basta que meu pensamento pense
meu desejo deseje
se te faria algum mal?
eu nem sei o que é essa palavra
vim para amá-la pelo bem
de meu bem
Fui eu que escolhi.
*
*

Já há muito que te devo uma declaração de paixão
foto de helder vasconcelos


sábado, agosto 2

os dias que machucam



Por dias que machucam-me
por se arrastarem
tornando duradoura a tua ausência
assim "tentobreviver"...assim posto que
há muito esgotou-se o sobreviver
o amor afastou partes do meu coração
dos meus sentires intensos
pedaços em todo o lugar
espalhados, doridos em saudade
extrema e contínua
para tudo tornar-se pior em dor
vem o vento,
também inimigo,
tornando o ar aramis
aí... vem a cruel memória
para lembrar-me da água
mareado as cores dos teus olhos
certeza que quente é
o calor de tua pele
não suporto mais a vida sem ti
os dias machucando-me
necessito da não-distância
necessito que me queiras agora
que me chames hoje
me revele e exponha
a mulher que habita em mim.
*
my Queen
*
imagem duarte

terça-feira, julho 29

Lasciva



Lasciva é a minha intenção
mostra os sinais de ti
não durmo
este intenso desejo
não caí em mãos inimigas
conheço as tuas
ponto a ponto
desmancha meu corpo
antecipa o prazer, teu
manipula o deixar ser-seu-corpo
minhas costas a lhe querer
meu suor em febre
é tudo o que há
se me tocas
nas minhas costas
percebo tanto você
és o que eu imagino amar
és a que amo imaginado
sem risco de deixar de desejar.

sexta-feira, julho 18

Piaf

Nesse breve intervalo meu recomendo o filme "Piaf, um hino ao amor".



Discover Édith Piaf!

sexta-feira, julho 4

O indizível cheiro


*
*
Somado o tempo
memória dos tempos dos cheiros
busco o cheiro do meu amor
terra molhada de chuva
a árvore queimada
areia pisada de água do mar
seda lavada
alecrim seco, guardado
mirra na fumaça da rua
essências estrangeiras
orquídeas recém molhadas
frutas amassadas nas mãos
as cítricas, doces, ácidas
seu cheiro, vício todo pra mim
somado o tempo
tempo dos cheiros
tempo do agora
é tempo do cheiro do meu amor
um não a se transformar no sim
o querer a se transformar no ser
o ter é o mudar
E até que a morte deixe de ser a morte
Eu quero o indizível cheiro do meu amor
*
imagem de kayovv

terça-feira, julho 1

Don't let me live



Se eu não puder sentir teu cheiro
não puder sentir teu sabor
as lágrimas não secarem
se o sentido das coisas
transformar coisas sem sentidos
e não conseguir reconhecer-te nas sombras
e não mais reconhecer as tolices
que a paixão provoca
se o perigo não significar mais o prazer
se o sortilégio findar
minhas idéias perderem a devassidão
e teu corpo não provocar mais loucura
meu devaneio,minha exaustão, meu desespero
meu prazer, pretensão única da virtude
a dissolução da falsa moralidade
para que nele possa eu guardar
tudo que aqui conquistei
então...
*
Don't let me live
*
*
imagem de lipas

sexta-feira, junho 27

Melancolia





A cor de minha melancolia
assemelha-se a cor do dia
a cor da canção
suave piano
notas ao longe
são tons nos meus dias
o ar leve, frio
o sentir particular da arte
quero vê-la e tocá-la
original dia em que tento produzir
algo assim...meu dizer solto
a provar que aqui estive
símbolos em todos os lugares
e eu, a tentar domá-los
a melancolia das cores
os dias que correm
uma estranha
impressão de ausência
esteja isolada ou em meio a multidão
as cores do dia, a marcar
o que sinto e não sei contar.

*
imagem de paralecitam

quinta-feira, junho 26

Hora de ti



Me diz a hora e vou ao teu encontro
Me diz o que posso ser
E vou me aproximar da verdade
Me diz o que enlaça a tua imaginação
E lá deixarei palavras
Me diz o que posso dar
Para alimentar idéias
O tamanho do seu apetite
O valor de sua paixão
A inquietude das tuas horas
Me diz que diferença faz
Se eu não tocar teu corpo
Me diz
Me diz
Para que eu possa ser singular
No infortúnio das horas
Que não param de passar.
imagem de elcranc

terça-feira, junho 24

Cúmplice




O amor é o cúmplice da poesia
a poesia do seu corpo
minha linguagem provocadora,obscena
rebelde sexo a me revirar
delícia que faço, ato de amor entre poesia e linguagem
território de minha boca
sou puta de uma só mulher
misteriosa e indolente, nos meus braços,
linguagem entre amor e poesia,
suor, lágrimas, que derramo quente
sou o seu próprio fazer
um triângulo
uma fé inabalável
erótica armadilha
cumplicidade de meu gozo
aquele que deixo dentro de você
molhado.

imagem de A. Brito

quinta-feira, maio 1

Sem Pecado - nos becos da vida


no começo não percebi
hoje minha alma alucina por ti
em cada canto, canto o teu nome
pronunciá-lo torna o meu amor
tênue entre o intenso e o transcedente
... ousadia de vida teimosa ...
assim escolhi
amar-te como conceito de ser
conceito de vida
sem distância e com desejo
com certeza e sem medo
sem arrependimento e com coragem
com carência e sem nenhuma vergonha
depois de provar você
não haverá mais ninguém
ajoelhado aos meus pés
que eu vá querer.
*
*
(resiste quem acredita)
*
*
imagem de Maria T.

domingo, abril 20

Arrepios - (des)limites de minha existência




água, inconstância do tempo
viagem que faço em ti
funda, plana , ampla
tudo que o desejo não diz, faz
aventurar-se
em você doce fruta
onde meu mundo começa
mundo sem lei
minha orgia em si
amá-la
meu imenso tumulto
minha guerra murmurada
nas sombras de sua água
sem retorno
a loucura é não arrancá-la de mim
*
*
imagem de amanda com

Arrepios


meu nome esqueci
perdeu-se de mim numa noite
de luz escondida
o amor encontrei em seu corpo
repleto de verdades
ele condenou-me
a loucura do prazer
tenho cada pedaço de ti
marcado na minha boca
pedaços quentes da mulher ardente
senhora de meus lençóis
um carrossel de carícias
minha neblina
minha liberdade cantada
teu corpo mistérios dos caminhos
de meu mundo
arrepiado só de pensar
como queres que eu seduza
seu doce mamilo
*
*
imagem de amanda com

quinta-feira, abril 10

A natureza do desejo


Se eu fosse uma imagem
queria ser a imagem
doce e delicada
que não estivesse só
não importaria o nome
podia ser água ou um som
uma sombra ou fronteira
uma pergunta ou folha na terra
ou flor atraída por pássaros
algo que ressucitasse uma primavera
dentro de mim
uma flor leve,
a batida rápida de um coração
ainda que estranha
num vale perdido cercada
de puro vento a conduzir
o prazer na natureza do meu amor
amor de albatroz,
de recordação,
viajante na luz secreta
natureza de meu desejo.
*
*
imagem de madalenap

terça-feira, março 11

Desenhando seu cheiro - ardente


*
*
onde está a cama onde quero tê-la?
pergunto em sussurro...
a cama onde possa eu percorrer você
entre rimas e risos
és a mulher que me dá vida
já não tenho nome,
já perdi a voz,
sou navegante sem destino,
sou ser sem linhagem,
sou perdida na existência
não me bastará a morte
provei o seu cheiro delicioso
vi Deus e nem ópio condenaria-me a tanto
diante do gozo que me levas a conhecer
forte, puro, ardente - cheiro desenhado.
êxtase de sensações invadidas
libertas meus demônios mudos,
minhas promessas protegidas,
a cumplicidade nossa
secretamente na cama
sou eu, você, o cheiro
*
e ninguém mais.
*
*
imagem dsmphoto

segunda-feira, março 10

Desenhando seu cheiro - puro

*
*
vi sinais por todos os lugares
lancinantes sinais a incomodar
no redor, um cheiro de amor sem fim
um cheiro puro
como o das folhas ainda vivas,
quase a cair
cheiro de amor enfeitiçado
como pedras lavadas,
esquecidas em beira d'águas
amor que continua, não dá-me pausa
provocador a seguir -me
num constante deitar-me consigo
seu puro cheiro elegante
cravou-se no meu sexo
sinto-o, acorda-me em saudades
tornou-me pensadora nas irônicas horas do dia...
esse cheiro
prisioneiro do meu sangue
aquece o dia frio, mas
esfria meus dias quando o calor
quer chamá-la para cama
onde, então, e só assim,
contemplarei esse seu cheiro puro
dentro de mim...
*
*
imagem de tina manthorpe

domingo, março 9

Desenhando seu cheiro - forte


*
*
não conta
não precisa
eu lembro
meu sentido ansiosamente apurado
meu desejo muito intenso
a força sua atravessando-me
era a hora de desenhá-la
meu imaginário, uma experiência particular
tomo você num sedutor jogo poético
serás minha aqui ou em outro lugar
posso destruir a força invisível
seu cheiro agora desenhado
a me consumir escravizará
ainda que eu não queira
és os amores todos, que sonhei
reunidos num só.
*
era maio,
sabia eu que tudo ia mudar...
*
*
imagem de tina manthorpe

sábado, março 8

Desenhando seu cheiro


*
*
em mim ficou
o resto do ar
que trouxe seu cheiro
amadeirado cheiro
que invadiu o quarto
grudou-se às paredes
a me enfeitiçar, a me enlouquecer
um cheiro que não compreendi
mas, um cheiro que não perdi
amor sem registro
é lembrança fértil
queria um filho de cheiro
se pudesses me dar
aparição de dentro para fora
nas paredes o seu cheiro
experiência de uma vida inteira
arranca de mim a loucura
de ter seu cheiro indizível.
até pra mim,
entendê-lo é o modo de vê-lo...
*
*
imagem de tina manthorpe

sexta-feira, março 7

Espaço Vivido III - folha-pedra



meu amor dorme
nenhuma porta a separar
um chão de folhas vermelhas e amarelas
acolhe seu corpo
corpo que quando comigo dorme
ninguém mais dorme
faço versos em alvoroço
esqueço os sons comuns
nosso poder vem como som de violino
único, inesquecível, raro
tal qual o barulho das folhas
que ouço quando deito ao seu lado
sou seu prazer num outono
que ainda não chegou
mas encharca de chuva
meu verão quente
cada dia é diferente,cada dia
entre pedras, folhas, sons
volto da luta real
para amar seu corpo
num lençol que colore minha vida.
*
*
imagem de nuno manuel baptista

quinta-feira, março 6

Espaço Vivido II - tempo remoto


*
*
um contorno
e acrescento uma cor
quero compor cada sombra
seu desenho onde deleito meu espírito
sensível sonho claro-escuro
das minhas coisas verdadeiras
seu corpo me conduz à vertigem
realidade fora de controle
vistos de relances que só a mim,
pertencem.
o que conta agora?
esse amor a prolongar meu viver
retomado, numa luta bravia
do tempo a que ele pertence
o distante tempo
o tempo inacreditável de uma vida
que está lá atrás
que lembrei
e fui buscar.
*
*
imagem de thorsten jankowski

quarta-feira, março 5

Espaço Vivido


É
o desejo doce de uma noite
fosse um detalhe isolado
torna o todo em luz
encontro de noção de vida
o dia a dia de cada detalhe
transpor o viver
tenho você comigo
aqui
o desejo doce de uma noite
toda noite em minha cama
és meu cálice
atos de um amor
que dorme em risco
compreenção indescritível
na arte do amar
sou a calma residente
afogo-me serenamente no teu corpo
minha tocha, minha palavra
o desenho independente
meu espaço, minha bandeira
meu bom senso.
*
*
imagem de amanda.com

terça-feira, março 4

Acordes livres


meu amor é preso na dor
o perigo está rondando-o
o medo ansioso castiga-o
impaciente,desassossegado
temo morrer na primavera
antes da noite aproximada
sofrer se não a tiver
ardendo dentro de mim
medo que corre de uma mão a outra
como se tudo não fosse mais existir
amor, flecha forjada dentro da floresta
aprisionado porque não se separa,
não se dobra, forte em coragem
do tempo viajado se deixa levar
poderosamente por palavras
para que entendas meus
acordes livres.
*
*
imagem de aster-oid

domingo, março 2

Acordes de seu Outono


preciso de um dia para chorar
não quero sentir o ar
não quero viver
quero um dia para esquecer
só lembrar do reflexo do Outono
nos seus olhos, meu profundo espelho
preciso de um dia de seu cheiro
para formar um jardim
acompanhar as cores
na estação dos meus pensares
uma alegria que liberta
esse dia de minha vida
que seja meu, unicamente
como nada nunca seria igual
estarei do lado da estrada
esperando na relva desfolhada
que acordes de seu Outono.
*
*
imagem de barrenetxea

sábado, março 1

Acordes da solidão



és solidão mergulhada
gritos sem voz
tu já devias ter me deixado
mas nossas noites teimam em encontrar-se
manter vivo o que não é livre
o amor preso em acordes
ouço sua solidão
e quase posso tocá-la
mas meus braços não te alcançam
por hora ainda tenho sonhos a sonhar
esperança de madrugadas ocupar
um desejo que pesa como água
que faz gemer meu corpo
que espanta as sombras do vento
não sei onde vão dar
talvez façam, nas minhas veias
pedidos sustentados de dor
acordes em silêncio
acordes da solidão
para eu poder amá-la.
*
*
imagem de zen hoxy

sexta-feira, fevereiro 29

ACORDES


Tal como num Acorde
és minhas sensações simultâneas
és os acordes
atalhos do meu tempo
tornados fundamental
Acordes
para sentir sem segredos
o amor surpreso sem fim
que seja aqui
que seja agora
o tempo em acordes de ti
transido de frio
no meio da vida
estou executando
os nós dos acordes
continuo querendo você.
Acordes
és dia, todo dia
em meus dias
desde o dia em que te conheci.
acabas meu frio
faça minha vida acordar.
*
*
imagem de bonedat